quarta-feira, junho 27, 2007

1984 já em 2007

Numa altura em que a sucursal socretina do MiniVer (ministério da verdade, em unilíngua orwelliana) procura por todos os meios e esbirros detectar crimideias, na direcção regional a que responde – a de Madrid – os responsáveis zapata-eristas avançam já para formas superiores de execução. O objectivo é implementar a Central de controlo e condicionamento do pensamento e expressão através da obrigatoriedade curricular da Educação para a Cidadania. Cumprindo o desiderato do MiniVer forçam a falsificação da História e das referências culturais, eliminando documentos e qualquer artigo que possa servir de referência ao passado de forma que ele sempre condiga com o que o Partido diz ser verdade actualmente. Por essa lógica, o Partido é infalível, pois nunca erra. O relativismo e o alternativismo impõem novas regras de conduta dominantes e asfixiantes. Todas as metástases de liberdade e conhecimento, nomeadamente as ligadas à Igreja Católica, irão ser objecto de um tratamento específico de quimioterapia aplicada.

Seguramente através de inside trading information, a editora Octaedro resolveu antecipar-se a essa edificante decisão, pondo cá fora uma edição (candidata a livro de apoio à disciplina) especialmente vocacionada para a educação cívica sexual dos jovens de 14 anos onde, para além de variados exemplos de posições de cópula e de instrumentos anti-concepcionais, se propõe o visionamento de um filme lésbico intitulado Fucking Amal, na sua versão dobrada em castelhano. Entre outros mimos indica a família poligâmica, formal ou operacional, como perfeitamente aceitável, enquadrável na tolerância do multiculturalismo. Passando uma esponja sobre a ignomínia da prática comunista (nem uma referência às ditaduras da URSS, da China, da Coreia do Norte, de Cuba, do Camboja, etc.) os autores incluem os marxistas entre os grupos perseguidos durante o séc. XX, colocando-os a par dos homossexuais, dos judeus e das pessoas de raças não brancas (sic). Dessa perseguição, como não podia deixar de ser, culpam sobretudo a Igreja Católica, considerando, no entanto, que esta tem vindo a perder poder social.

Outra editora a Akal, oferece para o mesmo efeito um livro em que a Educação para a Cidadania é feita com base nas requentadas teses marxistas. Ao referirem-se à ditadura de Fidel afirmam que a história da democracia contraíu para com Cuba uma dívida impagável (sic).

Como a medida chegará cá certamente, os papás que vão tomando consciência do que o Estado orwelliano pode fazer às cabecinhas das criancinhas se não houver um movimento generalizado de indignação e revolta.

3 comentários:

Anónimo disse...

E enquanto isso o xô Cardeal Patriarca lá se vai diletantemente recreando com os grandes apoiantes deste tipo de iniciativas, o xô Sampaio e o xô Balsemão...

Ricardo Zenner disse...

Sempre fui contra a queima de livros em auto-de-fé. Mas essa coisa publicada pela Octaedro não pode - nem deve! - ser considerada um livro.

E o mesmo destino deveria ser dado ao opúsculo da Akal: a fogueira!

(Isto na impossibilidade imediata de fazer passar os actuais políticos destruidores de Pátrias e Conciências pela purificação do fogo...)

Desculpe-me, caro Engenheiro, mas isto revolta-me, e faz subir em mim instintos violentos.

Cumprimentos, de um seu colega.

Flávio Gonçalves disse...

Já disponível a Wikipedia nacionalista:

http://pt.metapedia.org