segunda-feira, fevereiro 12, 2007

A segunda libertação de Barrabás

Pilatos dirigiu-se ao povo reunido: Qual quereis que eu vos solte: Barrabás ou Jesus, a que chamam o Cristo? (Ele sabia que tinham entregue Jesus por despeito.)
Enquanto estava sentado no tribunal, sua mulher mandou-lhe dizer: Nada faças a esse justo. Fui hoje atormentada por um sonho que lhe diz respeito.
Mas os príncipes dos sacerdotes e os anciãos persuadiram o povo que pedisse a libertação de Barrabás e fizesse morrer Jesus.
O governador tomou então a palavra: Qual dos dois quereis que eu vos solte?
Responderam: Barrabás!
Pilatos perguntou: Que farei então de Jesus, que é chamado o Cristo?
A maioria respondeu: Seja crucificado!
O governador tornou a perguntar: Mas que mal fez ele?
E gritavam ainda mais forte: Seja crucificado!
Pilatos viu que nada adiantava e que, pelo contrário, o tumulto crescia. Fez com que lhe trouxessem uma bacia e água; lavou as mãos diante do povo e disse: Sou inocente do sangue deste homem. Isto é lá convosco!
E todo o povo respondeu: Não importa. Caia sobre nós o seu sangue e sobre nossos filhos!
Libertou então Barrabás, mandou açoitar Jesus e entregou-o para ser crucificado.

1 comentário:

Euro-Ultramarino disse...

As maravilhas do sufrágio. De como o número de vozes concordantes decide o que é certo e o que não é.