terça-feira, fevereiro 14, 2006

Para o Joãosenista...

Lindo texto.

O que ao filho aponta e ensina
os bons caminhos da vida,
que o anima, que o convida
a seguir senda segura
que o leve até à ventura;
que lhe mostra, reverente,
essa estrela peregrina,
da santa fé viva imagem,
estrela que ao inocente
e que ao adulto ilumina
pela espinhosa romagem
deste mundo, e que lhe ensina
essa escondida passagem
daqui à pátria divina;
mas que acha no coração,
para os seus erros perdão;
um homem tal encontrai,
e descobri-vos, que é pai.
...

fragmento de Sombras, do Canto III de D. Jaime, de Tomás Ribeiro


By the way, chegaste a responder-me à questão do nacionalismo?
E o que é que queres dizer com aquele assunto triste? Gostava que explicasses melhor o assunto

2 comentários:

Manuel disse...

Oh Engenheiro, francamente!
Então tu aí, nessa deliciosa estrivaria que é capital, e não sabes de nada!...

O Jansenista disse...

Obrigado pelo cumprimento e pelo poema, de que não me recordava. Quanto à questão do nacionalismo ia a responder mas reparei agora na namorada do VL e fiquei sem fôlego. Deixa recuperar e já falamos. Melhor: regressando à Metrópole debatemos essa do nacionalismo "ao vivo"!