segunda-feira, fevereiro 27, 2006

Alvíssaras, gajeiro!

Para o Pedro e para a Inês :

MINHA PÁTRIA


Onde estás minha Pátria
Que mal te vejo
Se não fosse de ti a lembrança e o desejo
Do brilho que de longe me vem
Onde estás minha Pátria …
Se hoje te pressinto perturbada
E tal sentir, com tristeza, me inunda
Onde 'stás Pátria moribunda
Daquela altivez que de ti fez
Uma terra de heróis fecunda
Onde está a tua face adorada
Escondida na bandeira inclinada
Erguida, em sonhada alvorada ….
Onde estás, minha Pátria?
Sonho-te ainda mais bela e corajosa
Que uma caravela, há séculos, partida para o mar
Sonho e aquém e além Torre de Belém
Ouvindo, no silêncio da História
O Mosteiro dos Jerónimos, soluçar
Sonho-te, porque sem ti, somos ninguém
Sonho-te mais alto e mais nobre
Como a bandeira que te cobre
Sonho-te sempre, de novo
Numa certeza concreta
Nos versos de um Poeta
Na alma do teu Povo


CRISTINA SALGADO

2 comentários:

pedro guedes disse...

gracias! :)

F. Santos disse...

Ó Pedro, agradecer em castelhano um poema à Pátria...