segunda-feira, janeiro 23, 2006

Contribuição para o arquivo do Azinhal



O Manel tem falado dos antigos 10 de Junho. Os veteranos continuam a reunir-se...

6 comentários:

Mendo Ramires disse...

Quando é que os Ilustres Mestres - Engenheiro e Azinhal - se juntam, para dar à estampa, em edição ilustrada, a «História do Nacionalismo Português no Século XX»? A gente nova agradece... e compra, lê e aprende!
Apareça, se puder, no Jantar das Quartas (ao vivo e no computador).
Um abraço.

Manuel disse...

Há uns que estão meio-skinheads...

camisanegra disse...

É obrigatório ler o "Fascismo em rede"!

Mendo Ramires disse...

Como é que me esqueci do Camisa Negra, e do VL? A Obra Literária, «O Nacionalismo Português no Século XX», será levada a bom porto pelos seguintes Autores: Engenheiro, Manuel Azinhal, VL e Camisa Negra. Assim é que é. Ficamos a aguardar, ansiosamente.

O Jansenista disse...

Fim de verão, zona de Sete Rios, conversa de helicópteros...
Voltas a chamar-me "gálico estrangeirado" e lanço-te às minhas guarda-costas (o VL que te diga, que já teve a experiência).
Contaram-me o gesto do V.V. mas não assisti porque por medo (não tenho prolemas em confessar) não cheguei a entrar no Calhariz, e havia que tirar o veículo da praça (até uns degraus desceu...).
Não confundi os ciganos com o Alcides, descansa, lembro-me bem do grupo e até de uma observação de alguém que, vendo-os distanciados junto à estátua do Chiado, e julgando que eles queriam manter-se à margem, os designou de "os irregulares do Galvão de Melo".
O mundo é pequeníssimo: acontece que nesse repasto que retratas no teu blog estavas sentado junto do nosso amigo que "ad hoc" encabeçou a contra-ofensiva desse grupo de ciganos. Eu presenciei esse gesto de grande coragem, e a minha admiração por ele só não aumentou porque já o tinha visto com a mesma presença de espírito e bravura em duas situações mais arriscadas ainda, ambas no Pedro Nunes.
Como és muito amigo dele, e respeitas o seu testemunho, pega tu do telefone e pergunta-lhe.
Agora se por hipótese mesmo esse nosso amigo desmentir o que repetidamente temos recordado em conjunto, então declaro que fui vítima de uma alucinação colectiva. Mas nesse caso, cabe perguntar, para grande escândalo decerto de quem me acha mentiroso e caluniador: será que não esteve lá também, "au grand complet", a segurança do PPD, liderada por J.P. Zby, que eu me encarreguei de contactar uns dias antes (segurança de cujas fileiras "saltou" o nosso grande Jarbas, entre outros)? Isso também foi alucinação? E se não foi, em que é que isso deslustra a pureza da causa?
Que quem não me conhece me ache caluniador e mentiroso é perfeitamente natural.
Tu conheces-me, aplica-se o inverso.
As aparências iludem, não é? Olho para os retratos do teu blog e parece que houve ali um repasto agradável, mas só Deus sabe a angústia com que estive o tempo todo, depois de saber notícias da saúde de um dos convivas. Sabes do que falo.
Ia enviar-te um abraço, mas primeiro retira essa do "gálico estrangeirado". (BTW, don't blow my cover)

O Jansenista disse...

E para que não subsistam dúvidas, meu caro, sim, sou o da camisa branca na foto de baixo.


O Gálico Estrangeirado que não pertencia ao grupo de forcados.